Qual é sua praia

  • Compartilhar

Alexandre: da Pedagogia para o Jornalismo

photo_2016-02-22_17-35-17

Marcos Alexandre – 8° período de  Jornalismo. 

Meu nome é Alexandre Pequeno, tenho 21 anos, terminei o ensino médio em 2011 e no mesmo ano fiz o ENEM. Daí me inscrevi no Sisu e Prouni. Pelo Sisu não consegui o curso de Jornalismo que queria na universidade federal, porém consegui Pedagogia. Cheguei a me matricular, e paralelo a isso, havia me inscrito no Prouni para o curso. O resultado saiu no dia em que eu tinha me matriculado na UFAM.

Cancelei a matrícula e optei por ficar com o curso que queria. De uns tempos para cá tenho me interessado pela área do entretenimento. Hoje, estudo Jornalismo na UniNorte e estou no 8º período. Sempre gostei de escrever, ler, transmitir os sentimentos para o papel. De lá pra cá aprendi bastante coisa, tanto na academia quanto na prática. Estagiei por um ano no setor de Pesquisa e Análise de Conteúdo da TV A Crítica, que não é bem da área, mas mesmo assim aprendi muita coisa. Um ano depois, meu contrato se encerrou e fiquei dois meses sem emprego.

Em maio deste ano, consegui um novo estágio no Portal A Crítica e é onde estou tendo mais contato com as experiências da área do jornalismo realmente. Consegui o meu primeiro estágio na TV A Crítica em janeiro de 2014, através do CIEE que é um programa que facilita os jovens conseguirem estágios nas suas respectivas áreas. Sou muito grato a esse programa. Fiquei um ano na TV, e após isso, consegui o estágio no portal também pelo CIEE.

 

Profissional que te inspira?

Roberto Cabrini é um profissional que me inspira enquanto jornalista sério e  íntegro. Ele me inspira pelo modo de trabalhar, de transmitir a informação.

Um filme que marcou?

Um filme que marcou minha vida foi “O Casamento do Meu Melhor Amigo”. É um filme sensível acima de tudo, emocionante.

Melhor livro?

O livro que eu mais gosto é “A Megera Domada.” É um livro que te pega e você nem percebe. Tem bons ensinamentos.

Minha frase?

É de um desenho animado que eu gosto muito “O coração instável é a única constante neste mundo” (Castelo Animado).