A profissão de Biólogo foi regulamentada pela Lei nº 6.682/1979 para atuar, em diversas áreas do conhecimento ligados à Biologia. Além de atuar na educação como licenciado o Biólogo também pode atuar em três grandes áreas:

Meio Ambiente e Biodiversidade; Saúde; e Biotecnologia e Produção. As atribuições e áreas de atuação estão estabelecidas no art. 2º da Lei nº 6.684/79, e nas resoluções nº10/2003, Áreas do Conhecimento do Biólogo, e nº 227/2010, Áreas de Atuação do Biólogo.

O profissional poderá atuar em institutos de pesquisas, instituições de ensino, parques e reservas ecológicas, órgãos de saneamento e preservação do meio ambiente, secretarias e fundações de meio ambiente e de Ciência e Tecnologia, empresas de consultoria, zoológicos, museus, herbários, biotérios, laboratórios, indústrias de alimentos, fertilizantes, biocidas, lacticínios etc.

•    Bioinformática: Envolve as técnicas computacionais aplicadas ao estudo de sistemas biológicos. Busca oferecer uma percepção multidisciplinar da área, abordando tanto aspectos relacionados à sequências de nucleotídeos e aminoácidos quanto à estrutura e dinâmica de proteínas e outras moléculas.

•    Biologia de organismos aquáticos: Pesquisar o cultivo, a reprodução e o beneficiamento de animais e organismos no mar ou em água doce.

•    Biologia molecular: Estudo da Biologia em nível molecular, com especial foco no estudo da estrutura e função do material genético e seus produtos de expressão, as proteínas.

•    Controle de pragas e vetores: planejar e aplicar técnicas para controlar a transmissão de doenças entre animais e diminuir o impacto de pragas em lavouras.

•    Ensino: Os licenciados em Biologia podem lecionar em escolas dos ensinos fundamental e médio. Os bacharéis, em universidades.  A docência no nível superior é diretamente associada à pós-graduação, strictu sensu ou lato sensu. Ambos podem, ainda, desenvolver ações educativas em museus e unidades de conservação.

•    Genética e Biotecnologia: Criar, manipular, reproduzir e estudar organismos em laboratório, buscando compreender seus processos fisiológicos e genéticos. Fazer o melhoramento genético de espécies. Pesquisar a utilização de microrganismos na produção de medicamentos e alimentos. Realizar exames para o diagnóstico de doenças genéticas ou a determinação da paternidade, com base na análise de DNA.

•    Gerenciamento costeiro: administrar o uso do mar e do solo em regiões costeiras, com o objetivo de minimizar o impacto na biodiversidade e preservar a qualidade de vida na região.

•    Meio ambiente: atuar em órgãos públicos, ONGs, parques e reservas ecológicas, promovendo programas de preservação ambiental, fazendo o levantamento de populações de animais e vegetais, elaborando relatórios de impacto ambiental e recuperando ambientes degradados.